segunda-feira, 7 de novembro de 2011

A AULA DE PILATES FICA MAIS EFICIENTE COM UMA RESPIRAÇÃO ADEQUADA




No Método Pilates a respiração é essencial, de fato é um de seus princípios chave já que ajuda a controlar os movimentos, permite oxigenar os músculos, facilita a estabilização da coluna e a movimentação dos membros, ajudando a relaxar a musculatura e estar ciente das tensões acumuladas por todo o corpo.

A respiração é parte integral de cada exercício de Pilates, sendo sempre coordenado com o movimento de tal maneira que contribui com a direção da energia para a zona que se está trabalhando. Também, uma técnica de respiração adequada aplicada durante os exercícios de Pilates ajuda o relaxamento muscular, evitando qualquer estresse desnecessário.

Durante a execução dos exercícios de Pilates, o método utiliza uma técnica de respiração específica que permite não somente liberar o corpo de toda a tensão desnecessária (em particular no pescoço, ombros e costas), mas também fazendo com que os abdominais transversos sejam trabalhados na inspiração e na expiração.

O método respiratório do Pilates permite ativar corretamente os músculos abdominais transversos conseguindo assim manter estabilidade na região lombar durante a execução dos exercícios.

No Pilates, durante a respiração, é executada a inspiração pelo nariz e a expiração pela boca. Durante a inalação as costelas se abrem fazendo força para fora e para cima, ao mesmo tempo em que a coluna vertebral é esticada. Ao inspirar é muito importante não relaxar os músculos abdominais, para evitar perder o alinhamento postural, e cuidar para não utilizar os músculos inadequados durante a execução dos exercícios.

A expiração, por sua vez, facilita a contração dos músculos abdominais, já que anatomicamente ocorre a redução da caixa torácica “para dentro e para baixo”. Ao praticar o processo de expiração o diafragma se eleva gerando assim um “empurrão” dos músculos abdominais para dentro, no qual cria um centro de energia forte, que é fundamental para o processo de estabilização.

A respiração deve ser lenta durante todo o momento, sempre de forma contínua, e procurar realizar inspirações e expirações de mesma duração para permitir o bom “intercâmbio” entre oxigênio e dióxido de carbono em todo o corpo. Como regra geral, no Pilates a duração das incurções respiratórias variam em função do nível do aluno.

1 – Inspiração:

Inspire pelo nariz continuando a contrair o abdome. Observe como o oxigênio entra na caixa torácica e, com ele, como suas mãos se separam pela ação da abertura das costelas.

2 – Expiração:

Expire pela boca ativando bem seus músculos abdominais como se tentasse levar o umbigo até a coluna vertebral. Para isso imagine que seus músculos, na base da pélvis, abdominais e umbigo estão unidos por um zíper. Sente como se fechasse para cima este zíper ao expirar.



Fonte: ClubedoPilates

domingo, 25 de setembro de 2011

FAÇA UMA AUTOMASSAGEM PARA RELAXAR PESCOÇO, NUCA E AS COSTAS

Siga o passo a passo e alivie dores que incomodam o seu dia por Ana Maria Madeira

Prática milenar da medicina chinesa tradicional, a automassagem relaxa e ajuda a manter sua saúde em dia. De acordo com o terapeuta com especialização em shiatsu, Augusto Yssamu, a automassagem é recomendada para todos aqueles que não possuem doenças como diabetes, câncer e que não apresentem ferimentos no corpo. "Fazer uso de acessórios, como bolas e massegeadores, pode ser eficiente, desde que a pessoa não sinta dor", explica. Pessoas com diabetes, desenvolvem mais facilmente problemas vasculares.


A seguir, o massoterapeuta Sydney Donatelli, coordenador da escola Amor, em São Paulo, nos ensina as melhores maneiras para desfrutar dessa técnica. "A automassagem pode ser feita diariamente e, caso você não possa praticá-la, recomendo, no mínimo, um alongamento, que é capaz de amenizar um pouco as dores", diz o especialista. Siga o passo a passo para aliviar dores nas costas, pescoço, nuca e até na face.



Rosto: 1.Comece com uma fricção circular usando os dedos médio, indicador e anular na mandíbula, abrangendo a gengiva inferior e as glândulas salivares.



2.Continue a massagem na articulação da mandíbula e nesse ponto também faça uma pressão constante com a polpa do dedo indicador.



3.Faça movimentos circulares na região da gengiva superior.



4.Com os dedos polegar e indicador em forma de pinça, pressione levemente a região acima do lábio superior.



5.Continue com um pinçamento com o polegar opondo-se aos três dedos no osso e maçã do rosto, da asa do nariz à orelha.



Nuca: 1.Pressão com os polegares na base do osso occiptal (nuca), seguindo do centro , para as laterais até a linha posterior das orelhas.



2. Com uma das mãos, faça um movimento de pinça, puxando os músculos da face posterior do pescoço. A cada área pinçada movimente levemente (para frente e para trás), a cabeça e região cervical da coluna.



3.Pince os músculos do ombro, seguindo sempre em direção do pescoço para o braço. A cada área pinçada promova pequenos movimentos de ombro. Use a mão direita para pinçar o ombro esquerdo e vice-versa. Repita a massagem no outro ombro.



4. Faça pressão contínua com os dedos médio e indicador no centro do segmento do ombro. Use a mão direita para o ombro esquerdo e vice-versa.



Costas e Coluna 1. Promova uma fricção vigorosa com as mãos espalmadas na região lombar da coluna, onde as dores costumam aparecer com frequência.



2. Use a ponta dos dedos para fazer uma fricção vigorosa e circular sobre o osso sacro com as duas mãos.



3.Flexione o tronco para frente soltando o peso do corpo e expire fortemente. O movimento também pode ser realizado na posição sentada.



4. Sentada na cadeira, eleve o tronco para trás, promovendo um arqueamento do tronco e da cabeça, enfatizando a inspiração e com cuidado para não fazer movimentos bruscos, que podem machucar a lombar.

domingo, 18 de setembro de 2011

PILATES E A DOR LOMBAR


Antes de qualquer coisa o profissional deve se preocupar em saber como tratar a individualidade de cada cliente, ou seja, por que ele está sentindo esse desconforto, (dor na região lombar da coluna vertebral) que chamamos também de lombalgia.

A região lombar desempenha um papel fundamental na acomodação dos impactos sobre as vértebras com o peso do próprio corpo, da ação muscular e de forças externas. O desequilíbrio dessa área proporcionará a instabilidade e terá como principal conseqüência à dor.

A dor lombar atinge cerca de 80% da população adulta e pode estar relacionada com: a postura do cliente como a hiperlordose, a mudança do centro de gravidade na gravidez, a instabilidade articular da coluna, hérnia de disco (ruptura do disco vertebral), desestruturação do disco vertebral, problemas ósseos como osteoartrite, espondilólise (fratura de um ou dos dois lados da vértebra), espondilolistese (fratura e deslocamento da vértebra), tumores entre outros.

Alguns estudos confirmam que a Fáscia Tóraco Lombar é uma estrutura passiva que apresenta conexão com diversos músculos, comporta a função de suporte mecânico e participa dinamicamente, complementando a ação das outras estruturas estabilizadoras da lombar. Logo, o treinamento para clientes com dor lombar deve ser planejado com ênfase na estabilização.

É verdade que o fortalecimento da parede abdominal ajuda, porém, dados de outros estudos científicos mostram que quem sofre de dores lombares tem um decréscimo de 40% de força nos extensores da coluna em relação às pessoas que são consideradas saudáveis.

Enfim, podemos concluir que o trabalho de equilíbrio e de força muscular mostra-se como uma resposta para o melhor tratamento, assim como também o trabalho de abdominais, mas não com mais importância do que os outros grupos musculares.

O método Pilates por sua vez, tem um papel fundamental na prevenção da dor lombar através de exercícios que são executados por movimentos funcionais, aliviando assim tensões e dores, melhorando a postura, consciência corporal, flexibilidade, força e estabilização do centro (região lombo pélvica) e o aprimoramento do equilíbrio e propriocepção.

Autora:

Rafaela Porto

Certificated Instructor STOTT PILATES

Coordenadora Técnica da Pilates StudioFit

sábado, 30 de julho de 2011

PLATAFORMA VIBRATÓRIA



O conceito científico de plataforma vibratória foi desenvolvido há cerca de 25 anos, na antiga União Soviética (atual Rússia, Ucrânia e outros países), para combater a perda óssea ocorrida durante a permanência dos astronautas no espaço. Com o uso diário por 10 minutos eles conseguiam permanecer em órbita por 420 dias, enquanto os astronautas americanos conseguiam no máximo 120 dias, quando retornavam à Terra com graves problemas musculares e ósseos. A primeira aplicação, portanto, foi no tratamento da osteoporose.

Em seguida, ainda na União Soviética, começou a ser utilizada para melhorar o desempenho de atletas e na recuperação após atividades físicas.

Após a queda da cortina de ferro, cientistas ocidentais iniciaram pesquisas, na Itália e Israel, permitindo a ampliação de seu uso para diversas áreas, inclusive estética.

Como Funciona?
O sistema baseia-se em repetir um estímulo sobre os músculos, tendões e ligamentos, o qual gera uma resposta de contração imediata, sem sobrecargas.

Com a vibração consegue-se trabalhar a 100% os músculos. Adotando diferentes posturas potencia-se o exercício em determinadas partes do corpo, sem esforço. Os músculos são oxigenados e consegue-se queimar a gordura corporal.

As plataformas vibratórias não devem ser confundidas com a ginástica passiva nem com os eletros-estimuladores, já que os princípios em que se baseiam e a tecnologia utilizada são completamente distintos.


Para quem é indicada?
Qualquer pessoa, independentemente da idade ou condição física pode utilizar a plataforma vibratória, desde que esteja saudável.

É importante destacar que o uso da plataforma evita completamente os movimentos bruscos e possíveis traumas, como os provenientes de atividades físicas com aparelhos, em academias ou ao ar livre.

É uma excelente maneira de exercitar-se saudavelmente, sem esforços, mas com resultados espetaculares.

O que se diz por aí é que os exercícios realizados sobre a Plataforma Vibratória são mais eficientes do que os realizados fora dela. Isso já foi comprovado por alguns estudos científicos e a explicação é que a vibração aumenta o recrutamento de unidades motoras quando comparado com o mesmo exercício feito fora da plataforma.

As seções na plataforma devem durar de 10 à 15 minutos, no máximo 3x por semana, e serem associados à outros exercícios para obtenção de melhores resultados, portanto não adianta achar que basta subir na plataforma, fazer meia dúzia de movimentos que ficará com um corpo escultural, porque não é verdade! Uma das limitações é que quanto mais afastada do seguimento trabalhado, menores os benefícios.
A Plataforma Vibratória tem a capacidade de otimizar seu treino, mas não faz milagre!


Benefícios gerais
* Reduz gordura visceral e subcutânea
* Melhora tônus muscular
* Aumenta densidade óssea
* Reduz colesterol e excesso de gordura no corpo
* Fortalece as articulações
* Estimula o funcionamento do intestino
* Aumenta o metabolismo basal auxiliando na redução do peso corporal
* Aumenta força muscular


Contra Indicações
*inflamações agudas;
*infecções e/ou febre;
*artropatia e artroses agudas;
*artrite reumatóide aguda;
*enxaqueca aguda;
*feridas pós-operatórias;
*implantes metálicos ou sintéticos como marca-passos,válvulas cardíacas artificiais,endopróteses vasculares recentes,
*gravidez;
*tromboses agudas ou agravamento dos ataques cardíacos;
*problemas graves nas costas como hérnia de disco aguda;
*osteoporose severa;
*espasticidade;
*Atrofia de Sudek em estado I;
*tumores com metástases no sistema músculoesquelético
*vertigem posicional paroxística benigna.
*Problemas visuais a nível da retina
*Problemas vasculares graves (varizes em fase avançada) e cardio-vasculares em geral
*Uso de espiral anticoncepcional
*Prótese de anca e de joelho (em níveis altos de vibração)
*Epilepsia
*Utilização de placas, parafusos e extructuras de osteosíntesis em geral marca-passos ou qualquer outro aparelho electrónico interno
*Estar particularmente cansado, indisposto ou excessivamente stressado
*Estados inflamatórios causados por traumas de natureza músculo-eléctrico
*Depois de uma operação cirúrgica (há menos de 2 meses), situação pós-traumática ou doença genérica transitória como cefaleia, lombalgia, etc., até que desapareçam os sintomas
*Intolerância psicológica ao estímulo vibratório


A PLATAFORMA VIBRATÓRIA EMAGRECE?

Plataforma vibratória ajuda a reduzir gordura corporal, diz estudo

Roedores submetidos a vibração rápida e pequena perderam até 30% da massa adiposa.
Cientistas acreditam que técnica impede multiplicação de células gordurosas.

Aparentemente, é o sonho de qualquer pessoa desesperada por um corpo malhado: perder gordura e ganhar massa muscular com esforço zero, simplesmente ficando em cima de uma plataforma vibratória. Pode soar como ficção científica, mas funcionou -- em camundongos. É o que relata um grupo de pesquisadores americanos, que usou a vibração da plataforma como uma espécie de substituto de baixa intensidade dos exercícios físicos.

A equipe coordenada por Clinton Rubin, da Universidade do Estado de Nova York, tinha como objetivo principal testar a influência desses estímulos "imitadores" do exercício real no desenvolvimento do corpo, porque há indícios de que não apenas o movimento de alta intensidade é capaz de queimar gordura.

Só havia um jeito de descobrir -- e lá foram os camundongos de laboratório para cima de uma plataforma especificamente projetada para se movimentar na vertical, vibrando rapidamente em uma amplitude muito pequena, de apenas alguns centésimos de milímetro -- na prática, um leve zumbido, que os bichos tinham de agüentar por apenas 15 minutos por dia.

O mais impressionante é que deu certo. A gordura do tórax dos camundongos, por exemplo, diminuiu 30%, houve uma pequena redução geral de peso corporal, e a saúde dos bichos melhorou muito. Num teste feito para tentar entender os fatores que levaram ao efeito, os pesquisadores observaram que a plataforma vibratória parece inibir a formação de células adiposas (de gordura) no organismo.



FONTES: http://www.fiqueinforma.com/dicas/dica-de-produtos/plataforma-vibratoria-funciona/
http://g1.globo.com/

sexta-feira, 1 de julho de 2011

PILATES

O que é Pilates ? Pilates e seus beneficios


A cada dia o pilates ganha mais adeptos para a prática dos Exercicios pilates, entre eles, estão muitos artistas que precisam manter uma boa forma e exibir uma excelente postura a seu público. Hoje muitas pessoas já sabem dos beneficios de praticar pilates.

A procura por Exercicios pilates é muito grande, isso porque o foco do método pilates é a melhora da saúde, a busca do bem-estar e de maior qualidade de vida, o Método Pilates une o corpo e a mente, e isto é exatamente o que as pessoas procuram no dia de hoje.


1- Pilates Benefícios

- Uma ótima maneira de relaxar e bater estresse
- Pilates é uma forma suave de exercício que literalmente lhe reintroduz ao seu próprio corpo. E quanto melhor você entender o seu corpo e como ele funciona, mais fácil será para você liberar a tensão, relaxar e combater o stress da vida moderna.


2 - Pilates Melhora seu equilíbrio e coordenação

A prática do Método Pilates ajuda a melhorar o seu equilíbrio e coordenação pelo realinhamento da coluna e fortalecimento do "core". Um melhor equilíbrio e coordenação significa menos lesões. Vem daí o grande sucesso do Método Pilates entre os atletas, bailarinos e esportistas.


3 - Exercicios pilates Sem sofrimento

Muitas pessoas simplesmente não podem nem pensar na rotina de uma academia de musculação, muito menos no esforço físico para ganhar músculos. Método Pilates é uma tÉcnica de exercício não aeróbico, suave, mas que fornece tônus e fortalece os músculos de dentro pra fora.


Pilates Exercícios

Ao longo desses anos de experiência com os Exercícios Pilates, notamos que as principais reclamações das pessoas que iniciam o trabalho com a técnica estão relacionadas a dores crônicas e a pequenos desconfortos na coluna lombar, torácica e cervical.

Na prática com o Pilates, a correção baseia-se em conhecimento integrado, que relaciona fraquezas e compensações que geram desequilíbrios musculares em todas as alavancas do corpo.

Pilates Benefícios - estabelece uma progressão do movimento, iniciando os exercícios com uma postura horizontal, onde as correções possam ser efetuadas com mais facilidade, progressivamente passando para uma postura vertical.

Inicialmente estimulamos o fortalecimento da primeira fraqueza das pessoas : “os abdominais”, através do “centro de força”, local em que a força para os movimentos deve ser acionada.

Os profissionais que utilizam a técnica de Pilates devem intuir quando é a hora certa de avançar no programa de treinamento, conscientes das necessidades e habilidades de seus alunos. O professor deve dispor de um bom conhecimento em anatomia, biomecânica e cinesiologia, para oferecer as bases teóricas necessárias para a correta interpretação e aplicação do Método Pilates.



MÉTODO PILATES - PRINCÍPIOS DE CONCENTRAÇÃO

Concentre-se nos movimentos corretos CADA VEZ QUE VOCÊ EXECUTA OS EXERCÍCIOS, para que você não os faça impropriamente.


MÉTODO PILATES - PRINCÍPIOS DE CENTRALIZAÇÃO

Os treinamentos básicos com os exercícios do Método Pilates requerem suporte e controle do tronco em conjunto com movimentos dinâmicos das extremidades. Centralização e equilíbrio estão sempre envolvidos.

Método Pilates (1998) enfatizou o alto índice de pessoas que apresentam curvatura anormal da coluna. Escreveu sobre a importância de preservar a curvatura normal para que se mantenha um bom equilíbrio do corpo, o que poderia ser obtido com o fortalecimento do centro de força, flexibilidade e alinhamento postural.


MÉTODO PILATES - PRINCIPIO DA RESPIRAÇÃO

Pilates afirmou que antes de qualquer beneficio que possa ser alcançado com o uso do método a pessoa necessita “aprender a respirar corretamente”. Esclareceu que a “respiração correta” seria a completa inalação e exalação de ar.



Método Pilates e a Saúde Efeitos benéficos dos exercícios do Método Pilates em seu sistema cardiovascular

Com a prática dos exercícios do Método Pilates, ocorre aumento dos batimentos cardíacos, fazendo que a corrente sanguínea dirija sangue “puro” e “fresco” , ou seja, rico em oxigênio, para todas as fibras musculares e importantes veias capilares, aumentando a oferta normal e natural do sangue que irá percorrer o cérebro, resultando em estímulo para as funções metais.

Adquirir a boa forma física não significa ter que realizar séries de exercícios mecanizados e repetidos exaustivamente, mas buscar o prazer e a satisfação em movimentos dinâmicos, diferentes, graciosos e divertidos.


No Método Pilates, busca-se o resgate dos movimentos naturais, da flexibilidade, da graça natural e das habilidades da infância, desenvolvendo a força muscular com paciência e capacidades correspondentes às tarefas diárias, resistindo ao cansaço corporal.

O Método Pilates busca a visão de unidade do homem, de modo que ele não seja visto apenas como um objeto cientifico, um conjunto de órgãos, músculos e ossos, uma vez que o homem é um ser com sentimentos, pensamentos e ações. Os moviemntos realizados durante uma sessão de Pilates são portadores de um sentido para o aluno, esse se conscientiza das transformações e benefícios que ocorrem durante cada movimento, quando o instrutor procura transmitir a característica lúdica e prazerosa, sem extrapolar os limites naturais dos movimentos.

O corpo humano, felizmente, está adaptado para agüentar muita negligencia. Mas não devemos, por isso, sobrecarregá-lo além dos seus limites naturais. “Desta forma, desde a Idade Moderna nós precisamos dedicar mais tempo e atenção a importante questão de se adquirir a boa forma física.


Pilates e Dores nas Costas

É comum instrutores de Pilates encontrarem alunos com dores na coluna lombar, mas é extremamente importante ter um diagnostico médico para saber a origem da dor e conseqüentemente, poder prescrever os exercícios ideais.

Em alguns casos é importante trabalhar a mobilidade articular, em outros pode ser extremamente contra-indicado. Por isso devemos sempre nos informar sobre a origem da dor, se possível conversar com o médico do aluno e assim poder evitar os exercícios contraindicados.

Pilates ajuda definir a barriga e a aliviar dores nas costas e nos ombros.


Posso fazer pilates ?

Qualquer pessoa que queira melhorar a aptidão física geral, a postura e a aparência pode se beneficiar com a prática dos exercícios de pilates. Eles se concentram no corpo como um todo e trabalham com as pessoas como indivíduos. Os praticantes podem adaptar os exercícios a suas necessidades cotidianas ou semanais. Com o pilates, o mais importante não é o que você faz, mas sim como faz.



Veja a reportagem sobre Pilates:

Quais são os benefícios do método pilates?

Praticado regularmente, o pilates pode restabelecer a flexibilidade das articulações, aumentar a eficiência da circulação e tonificar os músculos flácidos. Você poderá sentir o organismo se fortalecer e os níveis de estresse diminuírem. Perceberá que a postura, a coordenação, o equilíbrio e o alinhamento melhoram, propiciando uma sensação de autoconfiança. Finalmente, o fortalecimento dos músculos abdominais centrais propiciará obter uma barriga lisa com o pilates!

Pilates com bola

A aula de Pilates com Bola controla picos de ansiedade e depressão ocasionados pelo estresse do dia a dia. Mais do que um exercício físico, é um exercício mental, que tem como objetivo trabalhar a mente associada ao corpo.

Pilates para idosos

Os benefícios do Pilates na terceira idade vão desde o alívio das dores provenientes da idade até melhora da auto-estima.

São muitos os benefícios proporcionados pelos Exercicios pilates aos idosos: alívio da dor, maior percepção dos movimentos, fortalecimento muscular, maior equilíbrio, aumento da flexibilidade, alívio do estresse, entre outros.

A grande vantagem está na melhora da auto-estima do praticante do Método Pilates, uma vez que ele consegue realizar uma série de exercícios físicos que até então não se julgava capaz.


FONTE: http://www.pilates-rpg.com/

segunda-feira, 27 de junho de 2011

BATATA: A VILÃ DA DIETA

Pesquisa mostra que o alimento influencia diretamente no ganho de peso



A todo momento, a ciência descobre os benefícios ou malefícios de algum alimento. Dessa vez, foi a batata quem recebeu o título de mais nova vilã da dieta. Uma pesquisa feita na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que o consumo regular do tubérculo resulta num ganho de até 450 gramas de gordura, no final de dois anos. E não tem muito para onde fugir: seja frita, cozida ou assada, a batata tem efeito sobre a insulina presente no nosso corpo, que gera esse acúmulo de peso a longo prazo.

Por outro lado, a mesma pesquisa mostrou alguns alimentos que ajudam a perder peso, como nozes e iogurte. O derivado do leite evita o ganho de 450 gramas de gordura em quatro anos, se balanceado com dieta e exercícios físicos. O mesmo vale para as nozes, que ajudam a ficar livre de pelo menos 200 gramas a mais de peso. Cada porção extra de fruta na dieta do dia a dia evita um ganho de 100 a 200 gramas de gordura.


A pesquisa usou dados de 120 mil pacientes com 30, 40 e 50 anos, coletados por mais de 20 anos, para mostrar como a combinação de alimentação, ingestão de bebidas, exercícios e outros hábitos afeta no ganho ou perda de peso. Os pesquisadores afirmam ainda que, embora crucial, a contagem das calorias dos alimentos não é o único fator determinante, mas também a composição química deles e a forma como são processados pelo organismo.

Fonte: Bolsa Mulher

sexta-feira, 24 de junho de 2011

PILATES: CORPO MALHADO SEM MUSCULAÇÃO

De uma barriga mais definida ao autocontrole, passando por músculos firmes, fortes e alongados, ótima postura, articulações mais saudáveis, melhor capacidade de respiração e maior tolerância ao stress. Ufa! Não é à toa que o pilates conquista novas adeptas a cada dia





MOVIMENTOS ELEGANTES

Respire e solte todo o ar, sentindo seu abdômen encolher ao máximo — como se o umbigo fosse colar nas costas — e as costelas fechando em direção ao centro. Sua barriga fica retinha, a cintura afina. Pena que dure só até a próxima respiração! Você pode, porém, preservar esse momento mágico para sempre ao praticar o pilates, um método de condicionamento físico criado na Alemanha na década de 20. Seja nos aparelhos inventados por Joseph Pilates — estruturas de madeira e metal, com molas e tiras de couro — como nos movimentos feitos no chão — técnica conhecida por mat pilates —, os músculos são trabalhados duplamente, ou seja, são tonificados e alongados ao mesmo tempo, mas dentro do limite de cada praticante.

“Os corpos treinados pelo método são fortes, alongados, flexíveis e saudáveis. A postura melhora muito e os movimentos se tornam elegantes”, garante Alice Becker, instrutora e proprietária do Physio Pilates, estúdio em Salvador (BA). “Lembro de uma ex-aluna que dizia que tinha a sensação de estar percorrendo um salão de baile com roupas fluidas, ainda que estivesse atravessando a faixa de pedestre”, conta Alice.

Para quem não gosta do ambiente agitado das academias, pilates é ideal, pois permite um corpo malhado sem puxar ferro. Esse é o caso de Tatiana Tiepolo, que pratica no estúdio Physio Sport Pilates, em São Paulo (SP). “Além de músculos mais firmes e bem desenhados, melhorei a postura”, diz ela.
De uma barriga mais definida ao autocontrole, passando por músculos firmes, fortes e alongados, ótima postura, articulações mais saudáveis, melhor capacidade de respiração e maior tolerância ao stress. Ufa! Não é à toa que o pilates conquista novas adeptas a cada dia


SILHUETA NOVA EM 3 MESES

O relato de Tatiana poderia ser multiplicado por 1200, número de alunos de Teresa Camarão, proprietária de dez estúdios no Rio de Janeiro, cinco deles abertos no ano passado. “A técnica dá resultados rápidos e duradouros, por isso está despertando tanto interesse”, diz Teresa. Segundo ela, em dez seções já dá para sentir diferença na flexibilidade. Em três meses, os músculos estão mais definidos e o condicionamento físico tem uma melhora significativa. “A mulher passa a conhecer seu corpo. Percebe seus limites, mas consegue vencê-los, desenvolvendo o autocontrole”, conta.

Tanto em aparelhos como no solo, o pilates é uma ginástica livre de impacto e que respeita a individualidade. “Os aparelhos servem para posicionar as alunas iniciantes e, ao mesmo tempo, para desafiar as experientes. Em grau avançado, por exemplo, a ginástica pode ser feita em um trapézio acoplado a um dos aparelhos”, diz Vany Giannini, fisioterapeuta e sócia-proprietária do Physio Sport Pilates. No solo, os exercícios exigem ainda mais da praticante, que tem de controlar sozinha o seu corpo. “O trabalho, porém, também pode ser facilitado com o uso de equipamentos como bolas e elásticos”, fala Sandra Tófoli, professora de pilates da academia Fórmula, de São Paulo.

Por dar ênfase à correção postural e ao bom alinhamento das articulações, o método é indicado também para o tratamento de lesões na coluna, joelhos e ombros, entre outras. Ana Paula Browne rompeu os ligamentos dos joelhos ao acidentar-se na Austrália. De volta ao Brasil, passou a se tratar com uma fisioterapeuta especializada na técnica. “Para minha surpresa, não tive que operar os joelhos”, relata Ana Paula, que é aluna do Centro de Ginástica Postural Angélica (CGPA), em São Paulo.



ABDÔMEN FORTE COMANDA O CORPO

A base do método é o centro de força, composto principalmente pelos músculos do abdômen, região lombar, quadris e glúteos. O centro de força permanece contraído, dando sustentação para movimentação solta, fluida, das pernas e braços. “Temos que controlar o centro de força durante toda a aula, pois é ele que mantém estável a coluna vertebral, evitando lesões”, explica Alexandre Von Ajs, coordenador de pilates da Velox e professor da Estação do Corpo, academias no Rio de Janeiro (RJ).

“Para fazer os movimentos, a aluna tem que estar atenta, concentrada. Por isso, dizemos que a mente também está presente na ginástica”, diz Cristina Abrami, instrutora e sócia-proprietária do CGPA. “Com o treinamento, o cérebro registra as informações e a postura exigida para os exercícios é assimilada automaticamente no dia-a-dia. A barriga fica lisinha e a cintura afinada para o resto da vida”, garante a professora, lembrando também que o posicionamento correto da coluna protege de lesões e dores. Mulheres que já malham estão procurando o método para trabalhar o abdômen, como é caso de Valeska Praxedes, atriz e modelo paulistana de 29 anos que tem aulas de mat pilates na Fórmula. “Fiquei impressionada, até minha cintura afinou”, conta.



PRÁTICA MEXE COM AS EMOÇÕES

Segundo Pilates, que estudou técnicas orientais como a ioga para desenvolver seu método, o centro de força controla não só os movimentos do corpo como as emoções. “A adepta fica mais centrada, nos dois sentidos, físico e mental”, diz Cristina Abrami. Outro fator que interfere no bem-estar é o controle da respiração, fundamental para manter a postura durante os exercícios. “A respiração adequada também ajuda a combater o stress, pois acalma a mente e controla a agitação”, fala Vany Giannini. “Fiquei mais tranqüila e equilibrada, não me irrito com qualquer coisa”, confirma Luciana Fortes, 28 anos, funcionária pública que treina no Physio Sport Pilates, em São Paulo.



PILATES ESTAVA À FRENTE DO SEU TEMPO

Visionário e autodidata, Pilates nasceu em 1880, na Alemanha, com vários problemas de saúde, entre eles o raquitismo. Inconformado com sua condição física, passou a pesquisar técnicas de ginástica para desenvolver seu corpo. Os estudos levaram à criação de seu método, uma mescla de técnicas orientais, que privilegiam o alongamento, a concentração e a interiorização, e ocidentais, que enfatizam a construção de músculos. Para garantir a execução dos movimentos, ele criou aparelhos de apoio (foto abaixo). Em 1923, partiu para Nova York e abriu um estúdio para aplicar seu método. Seus clientes eram sobretudo os bailarinos com lesões provocadas pela dança. Quando morreu, em 1968, cinco discípulos levaram o método para outras cidades dos EUA. A técnica, porém, só se popularizou nos anos 90, quando as pessoas passaram a procurar um trabalho diferenciado de corpo, que propiciasse resultados estéticos mas não prejudicasse a saúde.


FONTE: Revista Boa Forma

segunda-feira, 20 de junho de 2011

FLEX-BAND


Este acessório feito de silicone tem um formato de faixa e pode ser utilizado tanto no solo quanto em conjunto com todos os equipamentos de Pilates. Em alguns exercícios adiciona resistência, ou seja, acrescenta mais desafio para o aluno e em outros exercícios proporciona assistência, ou seja, ajuda na realização. Pode ser utilizado tanto para membros superiores e inferiores quanto em mobilização de coluna.

Contribui muito para criar consciência corporal em iniciantes na prática e ao mesmo tempo adicionar mais desafios de força e resistência para alunos mais avançados e que estejam a bastante tempo familiarizados com a técnica.

É um acessório fácil de levar a qualquer lugar e fácil de manusear durante a prática do Pilates também.

Compõe um dos acessórios utilizados no curso de formação de Mat (solo) da STOTT PILATES.

Vejamos alguns exercícios que podem utilizar o Flex band. No MEIO ROLAMENTO PARA TRÁS, por exemplo, o acessório pode facilitar a execução do movimento, pois suporta o peso do corpo facilitando o trabalho dos abdominais para um aluno iniciante que ainda esteja aprendendo a controlar a força do próprio corpo. POSIÇÃO INICIAL: Sentado, joelhos levemente flexionados, pernas aduzidas ou abduzidas na distância do quadril e pés completamente apoiados no colchonete. Pelve vertical. Coluna flexionada para frente por cima das pernas. Braços alongados a frente e segurando o flex band, topo da cabeça em direção aos dedos das mãos. Escápulas estabilizadas. Passe o flex band em torno dos pés e segure com as mãos nas extremidades.

Para preparar, inspire e depois expire e mantenha a flexão da coluna e role as EIAS para longe da porção anterior dos fêmures e segurando o flex band, role para trás até onde a flexão da lombar e o abdome plano possam ser mantidos e o flex band segure o posicionamento do corpo. INSPIRE role para frente, até a posição inicial. O flex band pode perder um pouco de tensão.

No próximo exercício, podemos ver como o flex band pode acrescentar resistência muscular. Posição inicial: Sentado com as pernas cruzadas, pelve e colunas neutras. Braços alongados a frente na altura dos ombros e segurando a flex band. Inspire para preparar e expire puxando a flex band e afastando os braços para a lateral até onde a estabilidade das escápulas e da caixa torácica possa ser mantida. Inspire retornando e controlando a resistência do acessório.

Autora:

Letícia Toledo Roverci

quarta-feira, 8 de junho de 2011

PILATES PARA GESTANTES

PILATES NO PÓS-NATAL

A gravidez é uma das mais maravilhosas e conturbadas experiências pelas quais uma mulher pode passar, se não, a maior de todas. Junto a uma criança, nasce um vínculo, um amor incondicional e super-protetor. E ainda mais: as transformações físicas, mudanças de rotina e prioridades também acompanham esta nova fase da vida da mulher.

“Ter um bebê faz com que não tenhamos tempo para nós mesmas. A maior parte do nosso tempo está concentrada neles, nossos filhos. Horas trocando fraldas, levantando e segurando nossos bebês… Esses movimentos alteram nosso corpo e nossa postura” afirma Michelle Starlin, bailarina, professora de Pilates e mãe de dois filhos.

A grande maioria das mulheres tem a sensação de descontentamento com o seu corpo, após darem a luz ao bebê. E apesar disso, a insegurança e a ilusão de estão “abandonando” seus filhos, faz com que as mamães tenham receio em retomar sua rotina de exercícios.

Para as mamães que já praticavam Pilates, saibam que muitos dos exercícios são excelentes para o pós-natal e que podem ser praticados em casa!

Antes, é importante se certificar com o médico de que é possível voltar às atividades físicas – parto normal e cesariana tem tempos diferentes de recuperação. Exercícios realizados até a exaustão não devem ser feitos. Isso pode prejudicar a qualidade da produção do leite.
Um exemplo de exercício que pode ser praticado com segurança, é mover os ombros em movimentos circulares e em ambos os sentidos, para ajudar a aliviar a tensão associada à amamentação. O Pilates trará diversos benefícios como este e que contribuirão para a total recuperação do pós-parto:

• Recuperação do assoalho pélvico, abdominal e músculos da coluna vertebral;
• Ele fornece uma maneira para o corpo a recuperar a força;
• Treinamento dos músculos para a recuperação das grandes mudanças experimentadas durante a gravidez;
• Melhora da postura – que sofreu durante a gravidez e continuará sofrendo devido às posições assumidas na hora de carregar e amamentar o bebê;
• Prepara o corpo para para exercícios de aeróbica e outros mais intensos;
• Ajuda com a recuperação da diástase dos retos (separação abdominal).


Fonte: Revista Pilates

domingo, 5 de junho de 2011

A BIOMECÂNICA DOS DESEQUILÍBRIOS MUSCULARES


Imagem: Internet

Artrose, escoliose e hérnia de disco são alguns dos maus do século XXI que atingem uma grande parcela da população mundial, sem poupar os mais novos ou os mais velhos. São situações clínicas responsáveis por quadros limitantes ou incapacitantes, os quais afetam severamente a qualidade de vida de um indivíduo. Diante dessa realidade, é necessário questionar qual a origem desses distúrbios. De fato, causas exatas não podem ser atribuídas a grande maioria dos casos, isto porque, normalmente diversos fatores podem estar envolvidos. Dentre um destes fatores, pode-se destacar o impacto dos desequilíbrios musculares nas articulações e estruturas adjacentes.

Os desequilíbrios musculares tornaram-se grande alvo de estudos e discussões dentro da Medicina Desportiva, como prováveis responsáveis pelo alto índice de lesões entre os atletas. Porém, boa parte dos estudos que se propõem a discutir o assunto não apresentam fundamentação científica (Klee et al, 2004).

Sabe-se que a estabilidade corporal, responsável pelo alinhamento do corpo, é diretamente ligada ao controle do Sistema Nervoso Central (SNC), pelo feedback sensorial das estruturas osteoligamentares e pelo controle da musculatura ativa. Logo, qualquer disfunção em um desses fatores vai promover instabilidade, a qual será compensada pelo corpo de alguma forma. Uma dessas formas é causando um desequilíbrio entre músculos (Liebenson & Lardner, 1999). De modo que os músculos que são mais utilizados, seja em tarefas do dia-a-dia, seja por práticas esportivas, tornam-se mais fortes e mais encurtados. Por conseqüência, ocorre um enfraquecimento e estiramento dos músculos antagonistas (Christensen, 2000).

O desequilíbrio muscular pode ser explicado pela diferença de força e flexibilidade entre grupos musculares que atuam sobre uma mesma articulação, isto é, ocorre quando determinado grupo muscular apresenta-se mais forte e/ou mais tensionado do que seu respectivo antagonista (Kollmitzer et al, 2000; Klee et al, 2004; Liebenson & Lardner, 1999).

O desequilíbrio pode ser fator causador ou estar associado a diversos fatores, como: uso inadequado, repetição excessiva, má postura, postura antálgica, patologias articulares, patologias musculares, contraturas ou aderências, déficits neurológicos, desuso ou atrofia, prática indiscriminada de atividades esportivas, dentre outras (Stokes, 2000).

Como fator causador, os desequilíbrios ocorrem, basicamente, pela promoção de um desalinhamento postural por alterar o posicionamento das estruturas ósseas ao aproximar origem e inserção (encurtamentos); ou promover sobrecargas excessivas em determinadas articulações ou parte delas, ligamentos e outras estruturas, podendo causar lesões agudas ou crônico-degenerativas (Kendall, 1995).

Como fator secundário, pode ocorrer como conseqüência de uma lesão inicial. Nesse caso, destacam-se as lesões traumáticas e as neurológicas que podem facilitar ou inibir as contrações musculares de determinados músculos, como, por exemplo, é o caso da espasticidade que atinge grupos musculares predominantes, inibindo a reação de seus antagonistas (Stokes, 2000).

Alguns grupos musculares apresentam uma predisposição natural ao encurtamento. Embora não exista uma explicação para isso, acredita-se que exista correlação com a posição fetal. Dentre os músculos que sabidamente tendem ao encurtamento, destaca-se: eretores espinhais, quadrado lombar, tensor da fáscia lata, piriforme, retofemural, gastrocnêmio e sóleo, peitoral maior, trapézio superior, elevador da escápula, esternocleidomastóideos, e escalenos; enquanto seus antagonistas diretos tendem ao estiramento (Stokes, 2000).

O processo de instalação de um desequilíbrio muscular, normalmente, não é perceptível ao indivíduo até que suas conseqüências comecem a se manifestar, normalmente em forma de quadros álgicos e/ou deformidades. E, levando-se em consideração o complexo de cadeias musculares que compõem o corpo humano, o processo será seguido de uma série de compensações locais e a distância, transformando o problema inicial em complexo processo de reabilitação postural (Moraes, 2002).

De forma simplificada, pode-se dizer que o tratamento dos desequilíbrios consiste em promover um reequilíbrio das cadeias musculares alongando o que está encurtado e fortalecendo o que está fraco. Vale ressaltar, porém, que o equilíbrio fisiológico de forças não é necessariamente o mesmo valor entre os grupos musculares.

Autora: Brena Guedes de Siqueira Rodrigues – Fisioterapeuta

Fonte: Revista Pilates

quarta-feira, 1 de junho de 2011

FITNESS E A TÉCNICA DO PILATES


Imagem: STOTT PILATES™


A prática da atividade física evoluiu com a própria evolução do homem. O homem primitivo passou a lutar, caçar e fugir a fim de preservar a sua existência. Assim o homem à luz da ciência executa os movimentos corporais mais básicos desde que se colocou ereto: corre, arremessa, salta, tem relações sexuais, empurra, puxa, etc.

Existem alguns fatos históricos no decorrer da civilização humana que talvez explique, em parte, a falta de exercícios específicos para melhorar a mobilidade da coluna vertebral na Educação Física. Durante o Império Romano e toda a idade média, os exercícios físicos ficaram restritos à função militar, incluindo, também, a caça e os torneios. A queda do Império Romano, por exemplo, foi muito ruim para a evolução da Educação Física, principalmente com o crescimento do Cristianismo que, por sua vez, perdurou por toda a Idade Média, pois o culto ao corpo era considerado pecado, passando a ser cada vez mais reprimidos devido à comunidade altamente puritana não ver com bons olhos a atividade física. (Costa, 1998).

Os exercícios beneficiados pela redescoberta dos valores gregos voltaram a despertar interesse maior só com o Renascimento. Mesmo assim, a ginástica como esporte, como conhecemos hoje, só se desenvolveu na Europa em meados do século XVIII. Mas só em 1829, na França, foi oficializada a atividade física denominada Ginástica Calistênica, sendo esta considerada precursora do Fitness. A Ginástica Calistênica revolucionou a atividade física do século XIX. Um dos pontos marcantes dessa modificação foi que essa modalidade passou também a incluir crianças, mulheres, obesos e idosos, onde antes eram excluídos. (Castellani, 1998).

A medida em que essa modalidade de ginástica foi evoluindo, era dada cada vez mais importância aos exercícios para os segmentos dos membros superiores e membros inferiores; enquanto que, a mobilidade da coluna vertebral era totalmente negligenciada.
Quando o fitness surgiu na década de 80 houve a mesma linha de trabalho da Ginástica Calistênica, mantendo até a tendência de corpos musculosos, sem mobilidade de coluna vertebral, dando continuidade a essa idéia até os dias atuais. Os profissionais de Educação Física começaram a se preocupar com a mobilidade da coluna em alunos praticantes de fitness, a partir das comparações realizadas com outras modalidades corporais, em especial o Pilates.

A técnica de Pilates apresenta uma grande importância tanto para os profissionais que trabalham com a abordagem corporal quanto para os alunos que realizam os exercícios. Esse método foi baseado em diversas atividades (Yoga, mergulho, esqui, natação, boxe, etc) devido ao criador, Joseph Pilates, dessa arte apresentar afecções osteomioarticulares quando criança. Ele tinha um propósito de melhorar a sua forma debilitada através do condicionamento físico, trabalhar o corpo da mesma maneira que uma pessoa sadia. (Brito, 1997).

Apesar da técnica de Pilates ter quase um século de existência, só na década de 80 o sistema passou a ser utilizado pelos bailarinos, que começaram devido à técnica adquirir uma grande eficácia na recuperação de lesões. A exemplo do que aconteceu na Educação Física, a mobilidade da coluna vertebral também foi negligenciada na Dança. Preocupados em executar movimentos sempre muito amplos, os bailarinos acabaram com a mobilidade da coluna vertebral prejudicada. Apenas alguns exercícios são ministrados em aulas de dança para a manutenção da mobilidade segmentar da coluna. Um dos estudos mais interessantes acerca da técnica de Pilates foi realizado pelo fisioterapeuta americano Brent Anderson. Criador do método Polestar Pilates, chegou à conclusão que o Pilates deve ocorrer mobilidade da coluna vertebral em todas as direções onde os movimentos intersegmentares poderão auxiliar na manutenção da postura adequada.

Os movimentos articulados da coluna acabam por ativar o Centro de Força (Powerhouse), fazendo um bom suporte estrutural. (Lobato, 2004). Por enfatizar bastante o trabalho em torno do controle do centro de força, há uma maior facilidade na realização dos movimentos desejados, pelo meio da fluidez dos movimentos, da suavidade do gesto corporal e da leveza, permitindo que todas as partes do corpo trabalhem com segurança, consentindo, assim, uma boa mobilidade da coluna vertebral.

Enfim, o método de Joseph ostenta o propósito de harmonizar o corpo, independente da idade ou condição física. As vértebras se mobilizam através da compressão e deformação dos discos, e deslizamento dos ligamentos. A coluna vertebral faz movimentos de extensão, flexão, rotação e inclinação. A flexibilidade é a sua principal característica. As vértebras da coluna vertebral se articulam de modo a conferir, além de flexibilidade, estabilidade para a função de mobilização, postura e equilíbrio do tronco. (Aguiar, 1997).

Autor: Fernando Barbosa – Educador Físico

sexta-feira, 20 de maio de 2011

PARAPLÉGICO CONSEGUE LEVANTAR E SE MOVER APÓS TRATAMENTO COM ESTÍMULO ELÉTRICO


Um americano que perdeu os movimentos do tronco para baixo após sofrer um acidente de carro agora consegue se levantar, graças a um estímulo elétrico em sua espinha dorsal. Rob Summers, do Estado de Oregon, disse que ficar de pé sozinho 'é uma sensação incrível'.

Ele consegue mover voluntariamente seus dedos do pé, quadris, joelhos e tornozelos, além de andar em uma esteira com ajuda de terceiros, segundo pesquisa publicada no periódico especializado The Lancet. Mas um especialista britânico adverte que o caso não deve ser interpretado como a descoberta da cura para casos de paraplegia.

Eletrodos
Summers foi um bem-sucedido jogador de basquete até 2006, ano em que foi atropelado e teve sua espinha dorsal danificada.Com isso, sinais enviados pelo seu cérebro, que antes 'viajavam' pela espinha dorsal, foram bloqueados, e ele ficou paralisado. Agora, médicos implantaram 16 eletrodos em sua espinha.

Summers começou a ensaiar diariamente tentativas de se levantar e mover as pernas, enquanto sinais eletrônicos eram enviados para a espinha dorsal. Em questão de dias, ele conseguiu se levantar sozinho e, depois, obteve controle sobre suas pernas, de forma a dar alguns passos, por curtos períodos de tempo e com o amparo de ajudantes.

Ele recobrou, também, controle sobre funções corporais, como o funcionamento de sua bexiga. 'Nenhum de nós acreditou', disse o professor Reggie Edgerton, da Universidade da Califórnia.

Para Summers, 'foi uma longa jornada, de incontáveis horas de treinamento, que mudaram a minha vida completamente'. 'Para alguém que, durante quatro anos, não pôde mover sequer um dedo, ter a liberdade e a habilidade de levantar sozinho é uma sensação incrível', disse.

Advertências
Há outros quatro pacientes na fila para receberem tratamento semelhante ao de Summers.

O estudo prova que o estímulo elétrico pode ter sucesso, mas, para o professor Geoffrey Raisman, do Instituto de Neurologia da universidade britânica UCL, ainda que o caso seja de grande interesse, a aplicação desse tipo de tratamento no futuro 'não pode ser julgada com base em apenas um paciente'.

'Do ponto de vista das pessoas que sofreram lesões na espinha dorsal, futuros testes do procedimento podem criar mais uma abordagem de obter benefícios. Não se trata da cura.'

A médica Melissa Andrews, do Centro de Recuperação Cerebral, de Cambridge, 'as pessoas devem ler (o estudo) e saber que a possibilidade existe, mas pode não chegar amanhã. É o mais perto (da cura a paralisias) que já chegamos, e a melhor esperança no momento'.

Para Summers, sua história é uma 'mensagem de esperança para pessoas paralíticas quanto à (possibilidade) de andar novamente. É uma grande possibilidade'.



FONTE:http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2011/05/paraplegico-consegue-levantar-e-se-mover-apos-tratamento-com-estimulo-eletrico.html

quinta-feira, 19 de maio de 2011

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE O MÉTODO PILATES


Pilates: o que é, de onde veio, serve pra que e a quem atende?
Pilates é um sistema completo de exercícios criado na década de 1920 pelo alemão Joseph Pilates. Utilizando exercícios em aparelhos e equipamentos que atendem à necessidade dos praticantes, o método destaca-se pela integração do corpo, mente e espírito. É considerado por especialistas e praticantes como o método mais eficiente de condicionamento físico da atualidade.

O princípio básico do Pilates é a Contrologia definida por Joseph como “o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo e a correta utilização e aplicação dos mais importantes princípios de força que se aplicam a cada um dos ossos do esqueleto”.

Todos os exercícios têm como foco o fortalecimento do “Power House” ou Centro de Força, que é formado pela musculatura do abdômen, lombar, glúteos e assoalho pélvico. Acredita-se que o centro do corpo forte proporciona estabilização para que se possa produzir movimentos de forma ereta e alinhada, evitando compensações e contemplando a simetria. Com os músculos abdominais fortes e a postura correta, provavelmente não existiria dor lombar, segundo Joseph.

As aulas seguem algumas orientações como:

* Exercícios suaves e eficazes;

* Poucas repetições de cada movimento;

* Grande repertório de exercícios;

* Aulas individuais, duplas ou trios;

* Uso de aparelhos e acessórios criados especialmente para os exercícios;

* Resultados rápidos e duradouros;

* Construção de uma postura correta e natural.

Benefícios:

* Alongamento e maior controle corporal;

* Correção postural;

* Aumento da flexibilidade, tônus e força muscular;

* Alívio das tensões, estresse e dores crônicas;

* Melhora da coordenação motora;

* Maior mobilidade das articulações;

* Estimulação do sistema circulatório e oxigenação do sangue;

* Facilita a drenagem linfática e eliminação das toxinas;

* Aumento da concentração;

* Trabalha a respiração;

* Promove relaxamento.

O Pilates tem sido muito utilizado na reabilitação das disfunções causadas por doenças como hérnias de disco, escolioses, dores na coluna vertebral, ombros, joelhos, tornozelos, pós cirúrgicos, artroses, doenças neurológicas, gestantes, idosos, ou seja, sempre que houver necessidade de reabilitar ou condicionar o corpo.

O método pode ser praticado de crianças até idosos, sem uma idade limite. O atendimento pode ser feito por fisioterapeutas, educadores físicos e profissionais de dança para a reabilitação e condicionamento físico desde sedentários até atletas de alto nível.

http://www.vitoriadaconquista.com.br/2010/11/30/pilates-o-que-e-de-onde-veio-serve-pra-que-e-a-quem-atende/

Fonte: Vitoria da Conquista

OS BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO

O método pilates é um trabalho que se baseia em exercícios de força e mobilidade utilizando para tais técnicas e exercícios específicos. Este método permite desenvolver nos seus praticantes uma maior tomada de consciência corporal através, sobretudo, dos seus princípios: Concentração, Respiração, Controle, Precisão, Fluidez de Movimento, Isolamento e Rotina (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999). Em todos estes princípios reside uma base comum: a especificidade de cada ser humano numa dimensão biopsicosocial, isto é, a capacidade desta modalidade se adaptar e se direcionar às diferentes características de cada praticante. Neste sentido, são inúmeros os estudos e os profissionais de saúde que associam a sua prática a inúmeros benefícios, c oncretamente ao nível da prevenção e tratamento de algumas patologias (como por exemplo os problemas de próstata, a incontinência urinária, entre outros), melhoria do equilíbrio, dos níveis de atenção e de concentração, da coordenação neuromotora, da mobilidade articular, da redução de dores da coluna, melhoria do sistema imunitário e do sistema linfático, aumento dos níveis de conhecimento de si próprio (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

Importa ainda salientar que o pilates assume um importante papel ao nível do sistema nervoso central. Através do sistema nervoso central conseguimos captar sinais do mundo exterior – podemos ouvir, ver, cheirar, saborear e sentir. O sistema nervoso central também coordena todas as nossas atividades conscientes e inconscientes – como andar, falar, pensar, recordar e realizar ações reflexas que acontecem sem pensarmos nelas. Um exemplo de uma patologia associada a uma disfunção ao nível do sistema nervoso central, é a Esclerose Múltipla (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

Será neste sentido, e tendo em conta todos os princípios e metodologias utilizadas pelo método pilates, que podemos considerar a sua prática uma importante fonte de estímulo do bem-estar global. Muitas formas de esportes e exercícios concentram-se nos músculos maiores e mais fortes e, enquanto estes se tornarem ainda mais firmes e volumosos, os músculos menores e mais “fracos” são fortalecidos, enquanto os músculos maiores aumentam seu tônus, favorecendo maior mobilidade às articulações, criando um corpo equilibrado, flexível e integrado. Localizar esses pequenos músculos e aprender como exercitá-los, exige um bom grau de concentração e precisão – e por essa razão a técnica Pilates é comumente chamada de “exercício pensante” (DAVIES; GIBSON; TESTER, 1979).

A concentração é um dos seis princípios básicos da técnica Pilates – através dela é possível estabelecer a sintonia entre mente e corpo. Os outros princípios básicos são respiração, controle, centramento, fluxo do movimento e precisão. Como os exercícios são muito seguros, o que faz a técnica ser perfeita para todos os tipos de pessoas a partir de 14 anos, entre atletas, obesos e idosos acima de 70 anos (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).





O método obedece a uma seqüência de módulos que se divide em: Básico, Intermediário e Avançado. Os equipamentos são usados em todos os módulos, com variações nos ângulos, na carga e a freqüência dos movimentos. Os exercícios devem ser feitos suavemente com o máximo de atenção e não devem ser executados automaticamente. Para isso, um mesmo movimento não é repetido mais do que 10 vezes (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999). Joseph Pilates criou mais de 500 exercícios diferenciados que em comum fortalecem e alongam toda musculatura do corpo, melhoram a flexibilidade e a coordenação e proporcionam relaxamento, muita conscientização corporal sem contar o constante trabalho respiratório e os cuidados com a correção da postura (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999). A princípio pode parecer que pouca coisa está acontecendo, principal mente se a pessoa estiver acostumada a aulas de aeróbica ou musculação, nas quais são utilizadas grandes cargas.

Entretanto, para ser capaz de usar corretamente seu corpo, o indivíduo precisa ter consciência dele como uma entidade integrada. Através do Pilates o aluno finalmente vai conhecer e aprender a usar corretamente o próprio corpo. À medida que descobre como usá-lo corretamente, sua postura melhora, seus músculos adquirem maior tonicidade, suas articulações tornam-se mais flexíveis e a forma de seu corpo torna-se mais equilibrada, ereta e alongada (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

A prática freqüente da técnica de Pilates traz os seguintes benefícios: fortalece o corpo, especialmente a musculatura abdominal; alonga e dá flexibilidade; desenvolve a consciência corporal e melhora a coordenação; ajuda a descomprimir lesões na coluna; prepara áreas enfraquecidas para a reabilitação; deixa as articulações mais móveis; desenvolve os músculos que suportam a coluna, aliviando dores crônicas na região; eleva a capacidade de contração muscular; aumenta a densidade óssea; melhora a postura e induz a combater o estresse; diminui a tensão e fadiga; relaxa e ajuda a combater o estresse; aumenta a capacidade respiratória e cardiovascular; desperta, revitaliza e dá sensação de leveza; otimiza o desempenho de atletas; diminui o percentual de gordura corporal; estimula a circulação; diminui a tensão pré-menstrual; auxilia no tratamento de complicações nos joelhos, ombros e panturrilhas, acidentes automobilísticos, reumatismo, poliomielites, pós-cirurgias, pré e pós-parto (GROUP; STANTON-HICKS, 1991).

A única contra-indicação do método é para casos de lesões no sistema músculo esquelético em processo de dor aguda. Passada essa fase, inicia-se a reabilitação, na qual o Pilates é utilizado para trabalhar a força muscular, a flexibilidade e o ganho ou recuperação de movimento (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999). O resultado após cada aula é uma agradável sensação de bem-estar, auto-estima e revigoração, onde cada músculo foi alongado, tonificado e massageado (GALLAGHER; KRYZANOWSKA, 1999).

A RPG é um trabalho preventivo e curativo, que tem como objetivo ensinar e educar músculos muitas vezes esquecidos, de forma mais estática do que dinâmica. O Pilates, por sua vez, amadurece estes ensinamentos de uma forma mais dinâmica do que estática. O Pilates também educa certos músculos; necessita, porém, de um maior cuidado durante sua aplicação, uma vez que seu aprendizado é mais dinâmico (BLUM, 2002).

Um dos grandes princípios do Pilates é o alinhamento do centro de força, juntamente com a respiração. Em outras palavras, o método atua no sentido de alinhar os 3 pontos da coluna vertebral – occipital, dorsal media e sacro – respeitando suas curvas fisiológicas – lordoses cervicais e lombares, e cifose toráxica – em um auto-crescimento, ao mesmo tempo em que trabalha a respiração, liberando a região superior do tórax. Somado a isso, há a utilização de abdominais (em especial o transverso do abdômen), formando um centro alinhado, forte e equilibrado, que constitui a base para todos os movimentos do corpo humano (BLUM, 2002).

Nos últimos anos, as gestantes também vêm descobrindo os benefícios do método Pilates de condicionamento físico. Neste caso, os exercícios são adaptados, suavizados, e algumas posições são modificadas para não entrarem em choque com a anatomia da grávida. O método da maior sustentação à barriga e à coluna, alivia as dores lombares e melhora a irrigação sanguínea, evitando inchaços e varizes. O trabalho respiratório é fundamental para a futura mãe, pois traz tranquilidade a mulher, podendo ajudar na hora do parto (BLUM, 2002).

O Pilates também pode trazer diversos benefícios para os praticantes da terceira idade. O método garante o aumento da densidade óssea; libera a tensão das articulações, deixando-as mais móveis e flexíveis; aumenta a capacidade respiratória e cardiovascular; melhora a postura, evitando possíveis lesões de coluna; e desenvolve o corpo e os músculos, diminuindo a fadiga do dia a dia. Mediante a isso, pode-se dizer que o método Pilates de condicionamento físico está apto à proporcionar satisfação total aos praticantes da terceira idade que desejam obter uma melhor qualidade de vida, aproveitando ao máximo seu corpo e sua saúde (BLUM, 2002). O autor é membro e Diretor Científico da própria Associação.

Autor: Théo Abatipietro Costa (Fisioteraputa)

sábado, 14 de maio de 2011

CURSO PARA FORMAÇÃO DE INSTRUTORES DE PILATES





ENTRE EM CONTATO PARA MAIORES INFORMAÇÕES: equilibriofisioterapiaepilates@hotmail.com
Orkut: Equilíbrio Fisioterapia & Pilates
Facebook: Clínica Equilíbrio

domingo, 1 de maio de 2011

LIVRE-SE DAS DORES COM O PILATES


Muito mais do que exercícios com bolas que aliam respiração à coordenação dos movimentos, o Pilates pode ser utilizado de forma pontual para o tratamento de dores. A lombalgia, por exemplo, é uma delas. “Estudos recentes comprovam a eficácia do Pilates como indicação de tratamento para a redução da dor na coluna e melhora da capacidade funcional”, explica a fisioterapeuta e instrutora de Pilates, Josiane Diniz. A razão é simples, pois, quem sofre com dores lombares geralmente precisa fortalecer o abdômen, glúteos e períneo para promover a melhor estabilização corporal em movimentos de membros superiores e inferiores. Nesses casos, nada melhor do que o Pilates, que oferece todas essas possibilidades. Segundo Josiane, o Pilates trabalha exercícios de organização corporal que sempre ativam o CORE e visam o alinhamento ideal de toda a coluna. “O ganho de flexibilidade e mobilidade também são obtidos, o que auxilia na funcionalidade do indivíduo”. Mas não adianta apenas uma sessão no studio por dia; é preciso, também, trazer os fundamentos do Pilates para o dia-a-dia, o que é possível com ações básicas que ativam o core, como se estabilizar nos movimentos diários, sentando-se corretamente, dirigindo de forma adequada, entre outros. Josiane observa, no entanto, que alguns médicos sentem-se receosos ao indicar os pacientes para um plano de reabilitação. “O Pilates, com bons profissionais, torna-se um importante aliado devido ao seu funcionamento e também por contar com turmas reduzidas, o que ajuda no monitoramento correto dos exercícios”.



Há cerca de dois anos, a estudante de Odontologia Marina Matias faz uso de medicamentos contra a enxaqueca e já tomou vários antiinflamatórios para dores no corpo. “Desde que comecei o Pilates, minhas dores diminuíram muito e não tomo mais tanto antinflamatório”, diz. O Pilates e os alongamentos ajudaram também a minimizar a enxaqueca, o que reduziu também o uso de remédios para esse fim. “Avalio o Pilates como nota 10 no combate a essas dores”, relata.

Fonte: Vita Sani

domingo, 17 de abril de 2011

PILATES: EMAGRECE, TONIFICA E PROPORCIONA BEM-ESTAR


Cada vez mais popular nas academias do Brasil, o Pilates se mostra uma modalidade esportiva completa e além dos resultados estéticos, ainda aumenta resistência física e alivia o estresse.

O Pilates já era praticado nos EUA logo após a primeira guerra mundial, principalmente por bailarinos e atores da Broadway e do cinema americano. Eles escolheram o Pilates porque a modalidade desenvolvida por Joseph Pilates oferecia benefícios extras, se comparado a outros tipos de prática esportiva, pois auxiliava na manutenção do peso, oferecia tonicidade muscular rápida (principalmente na área abdominal, que é sempre uma região complicada para enrijecer), elasticidade de movimentos, controle da respiração e correção postural.

A explicação para todos esses benefícios no Pilates é simples: todos os movimentos da modalidade se desenvolvem exigindo um emprego de força física diferenciada, fundamentalmente estática e excêntrica, a qual permite o fortalecimento do corpo, sem gerar tensões e/ou desequilíbrios musculares.

No Brasil, grande parte das academias já adotou o Mat Pilates (Pilates de solo), já que ele virou o queridinho das modalidades esportivas nos últimos anos. Algumas academias possuem, inclusive, estúdios de Pilates completos, equipados com os aparelhos adequados para o desempenho da modalidade, enquanto outras oferecem aulas mais simples, com a bola especifica para Pilates e anéis flexores.

A instrutora Meire Ramos desenvolveu um modelo de aula de Mat Pilates, voltado para o emagrecimento e tonicidade dos músculos, e desde que foi apresentada aos alunos, se tornou a aula “campeã de audiência” na academia onde trabalha.

Segundo Meire, os alunos têm escolhido o Pilates porque além desta modalidade auxiliar efetivamente no processo de emagrecimento – por acelerar o metabolismo, culminando no gasto calórico – e de oferecer tonicidade muscular, os exercícios de Pilates oferecem ainda algumas bonificações.

“Além de oferecer os benefícios de uma atividade física comum, o Mat Pilates auxilia ainda na correção da postura, elasticidade (alongamento), alivia o estresse e melhora consideravelmente a resistência física”, explica a instrutora.

O Programa de Pilates desenvolvido pela professora Meire, tem duração de aproximadamente uma hora e o gasto calórico pode chegar em 400kcal, por aula, dependendo do esforço do aluno.

“Toda aula de Mat Pilates deve iniciar com aquecimento e respiração. A respiração do Pilates funciona da seguinte maneira: inspiração pelo nariz – expandindo a caixa torácica na porção lateral e posterior – e expiração pela boca – fechando a caixa torácica, projetando as últimas costelas em direção à pélvis”, salienta Meire.

fonte: http://www.esteticanaweb.com.br/consumidor/artigos_detalhes

PILATES: EXERCÍCIOS SÃO ALIADOS PARA O TRATAMENTO DE VARIZES

Mas surge a dúvida: será que posso fazer qualquer tipo de exercício?

A maioria deles está liberada, mas a atenção deve ser redobrada com a carga.
Escolhendo a melhor atividade
Antes de determinar a carga do exercício, é preciso escolher aquele que mais se adapta ao seu dia a dia.

Algumas alternativas são: caminhada, corrida, musculação, ciclismo, natação, entre outros.

Um exercício super recomendado para quem tem varizes é o pilates, onde os movimentos são suaves, coordenados e harmônicos. Não havendo impacto nem sobrecarga. Exercícios assim ativam a circulação do sangue.

Atenção à carga
Agora que o exercício já foi escolhido, é hora de determinar a carga. É importante começar com uma carga mais baixa para acostumar o músculo. Muita gente acha que a musculação não pode ser feita ou que pode aumentar o surgimento de varizes, mas ela pode ser feita, desde que o treino seja de intensidade leve a moderada para o corpo se adaptar.

Periodicidade dos exercícios
Depois de escolhido o exercício e a carga, é hora de decidir qual o tempo reservado durante a semana para fazer exercícios, aliados no tratamento das varizes.

A especialista recomenda de 3 a 5 vezes na semana. Nesse período, uma hora por dia é o suficiente para apresentar resultados sem exigir muito do corpo.

Alerta vermelho
Mesmo que a maioria dos exercícios estejam liberados, há aqueles que podem agravar as varizes, como o boxe, por exemplo. Quando a pessoa fica muito tempo em pé, sem movimentar membros inferiores, a circulação sai prejudicada. Lembrando que tudo depende da intensidade do exercício.

Autora: Melina Caniçali



Fonte: http://www.abpilates.com.br/site/noticias.asp?idNoticia=297
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PILATES

O PILATES E A PRODUÇÃO DE ENDORFINA


O Método Pilates melhora seu estado de ânimo porque coloca em circulação em seu corpo endorfina. Esta substância atua diretamente sobre o cérebro produzindo uma sensação de bem-estar e relaxamento imediato.

Ao desfrutar de atividades de lazer o cérebro libera endorfina. Ela é analgésica, melhora as defesas orgânicas ante as enfermidades, e libera saúde e vitalidade. A endorfina é um dos melhores antídotos naturais para o estresse, a ansiedade, o cansaço, a tristeza, a degeneração celular e as infecções.

Também aumenta o bem estar e alivia a dor. Apesar de que estudiosos se mostram cautelosos para apresentar uma explicação, mas se sabe que quando se realizam atividades físicas fortes o cérebro produz uma grande quantidade de endorfina.

A principal ação da endorfina é bloquear os “detectores de dor” no cérebro. Algumas vezes ela tem efeitos mais potentes que os opiáceos que estão presentes na morfina, na heroína e na codeína. Mas, a endorfina não possui os efeitos colaterais/secundários que carregam as drogas ao sistema nervoso.

A endorfina é produzida com as risadas e com a estimulação dos sentidos: visão, olfato, tato, paladar e audição. Para desfrutar de algo assim, exige sua total atenção e não deves estar dividido ou desatendo, mas concentrado no “aqui e agora”. A concentração no método Pilates é fundamental para a correta realização dos exercícios e para desfrutar-se de todos os benefícios.

Sabe-se que o estresse e a ansiedade possuem padrões de reação física caracterizados pela tensão muscular, respiração acelerada e superficial. O Método Pilates equilibra a ansiedade e relaxa os músculos tensos. No Método Pilates se fazem respirações profundas e completas. Um dos melhores benefícios daqueles que desfrutam e praticam o Método Pilates é o bem-estar.

Fonte: planetapilates.com

quarta-feira, 6 de abril de 2011

HOJE É O DIA MUNDIAL DA ATIVIDADE FÍSICA!!

11 BENEFÍCIOS DA CAMINHADA PARA O CORPO E A MENTE
Ela controla a pressão, diabetes, protege contra demência e ainda emagrece





Você conhece algum exercício mais fácil de praticar do que a caminhada? Ela não exige habilidade, é barata, pode ser feito praticamente a qualquer hora do dia, não tem restrição de idade e ainda pode ser feita dentro de casa se a pessoa tiver uma esteira. "Para uma pessoa que não pratica nenhum tipo de esporte, uma caminhada de 10 minutos por dia já provoca efeitos perceptíveis ao corpo, depois de apenas uma semana, explica o fisiologista do esporte Paulo Correia, da Unifesp. Além da melhora do condicionamento físico, as vantagens de caminhar para a saúde do corpo e da mente são muitas, e comprovadas pela ciência.

Confira 11 bebefícios da caminhada:

1.Melhora a circulação
Um estudo feito pela USP, de Ribeirão Preto, provou que caminhar durante aproximadamente 40 minutos é capaz de reduzir a pressão arterial durante 24 horas após o término do exercício. Isso acontece porque durante a prática do exercício, o fluxo de sangue aumenta, levando os vasos sanguíneos a se expandirem, diminuindo a pressão.
Além disso, a caminhada faz com que a as válvulas do coração trabalhem mais, melhorando a circulação de hemoglobina a e oxigenação do corpo. "Com o maior bombeamento de sangue para o pulmão, o sangue fica mais rico em oxigênio. Somado a isso, a caminhada também faz as artérias, veias e vasos capilares se dilatarem, tornando o transporte de oxigênio mais eficiente às partes periféricas do organismo, como braços e pernas", explica o fisiologista Paulo Correia.


2.Deixa o pulmão mais eficiente
O pulmão também é bastante beneficiado quando caminhamos. De acordo com Paulo Correia, as trocas gasosas que ocorrem nesse órgão passam a ser mais poderosas quando caminhamos com frequência. Isso faz com que uma quantidade maior de impurezas saia do pulmão, deixando-o mais livre de catarros e poeiras.
"A prática da caminhada, se aconselhada por um médico, pode ajudar também a dilatar os brônquios e prevenir algumas inflamações nas vias aéreas, como bronquite. Em alguns casos mais simples, ela tem o mesmo efeito de um xarope bronco dilatador", explica.


3. Combate a osteoporose
O impacto dos pés com o chão tem efeito benéfico aos ossos. A compressão dos ossos da perna, e a movimentação de todo o esqueleto durante uma caminhada faz com que haja uma maior quantidade estímulos elétricos em nossos ossos, chamados de piezelétrico. Esse estímulo facilita a absorção de cálcio, deixando os ossos mais resistentes e menos propensos a sofrerem com a osteoporose.
"Na fase inicial da perda de massa óssea, a caminhada é uma boa maneira de fortalecer os ossos. Mesmo assim, quando o quadro já é de osteoporose, andar frequentemente pode diminuir o avanço da doença", diz o fisiologista da Unifesp.


4. Afasta a depressão
Durante a caminhada, nosso corpo libera uma quantidade maior de endorfina, hormônio produzido pela hipófise, responsável pela sensação de alegria e relaxamento. Quando uma pessoa começa a praticar exercícios, ela automaticamente produz endorfina.
Depois de um tempo, é preciso praticar ainda mais exercícios para sentir o efeito benéfico do hormônio. "Começar a caminhar é o inicio de um círculo vicioso. Quando mais você caminha, mais endorfina seu organismo produz, o que te dá mais ânimo. Esse relaxamento também faz com que você esteja preparado para passar cada vez mais tempo caminhando", explica Paulo Correia.


5. Aumenta a sensação de bem-estar
Uma breve caminhada em áreas verdes, como parques e jardins, pode melhorar significativamente a saúde mental, trazendo benefícios para o humor e a autoestima, de acordo com um estudo feito pela Universidade de Essex, no Reino Unido.
Comparando dados de 1,2 mil pessoas de diferentes idades, gêneros e status de saúde mental, os pesquisadores descobriram que aqueles que se envolviam em caminhadas ao ar livre e também, ciclismo, jardinagem, pesca, canoagem, equitação e agricultura, apresentavam efeitos positivos em relação ao humor e à autoestima, mesmo que essas atividades fossem praticadas por apenas alguns minutos diários.


6. Deixa o cérebro mais saudável
Caminhar diariamente é um ótimo exercício para deixar o corpo em forma, melhorar a saúde e retardar o envelhecimento. Entretanto, um novo estudo da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, mostra que esse efeito antienvelhecimento do exercício pode ser possível também em relação ao cérebro, ao aumentar seus circuitos e reduzir os riscos de problemas de memória e de atenção. "Os estímulos que recebemos quando caminhamos aumento a nossa coordenação e fazem com que nosso cérebro seja capaz de responder a cada vez mais estímulos, sejam eles visuais, táteis, sonoros e olfativos", comenta Paulo Correia.
Outro estudo feito pela Universidade de Pittsburgh, afirma que as pessoas que caminham em média 10 quilômetros por semana apresentam metade dos riscos de ter uma diminuição no volume cerebral. Isso pode ser um fator decisivo na prevenção de vários tipos de demência, inclusive a doença de Alzheimer, que mata lentamente as células cerebrais.


7. Diminui a sonolência
A caminhada durante o dia faz com que o nosso corpo tenha um pico na produção de substâncias estimulantes, como a adrenalina. Essa substância deixa o corpo mais disposto durante as horas subsequentes ao exercício. Somado a isso, a caminhada melhora a qualidade do sono de noite.
"Como o corpo inteiro passa a gastar energia durante uma caminhada, o nosso organismo adormece mais rapidamente no final do dia. Por isso, poucas pessoas que caminham frequentemente têm insônia e, consequentemente, não tem sonolência no dia seguinte", completa o especialista da Unifesp.


8. Mantém o peso em equilíbrio e emagrece
Esse talvez seja o benefício mais famoso da caminhada. "É claro que caminhar emagrece. Se você está acostumado a gastar uma determinada quantidade de energia e começa a caminhar, o seu corpo passa a ter uma maior demanda calórica que causa uma queima de gorduras localizadas", afirma Paulo Correia.
E o papel da caminhada na perda de peso não para por aí. Pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, mostrou que, mesmo horas depois do exercício, a pessoa continua a emagrecer devido à aceleração do metabolismo causada pelo aumento na circulação, respiração e atividade muscular.
A conclusão foi de que os músculos dos atletas convertem constantemente mais energia em calor do que os de indivíduos sedentários. Isso ocorre porque quem faz um treinamento intensivo de resistência, como é o caso da caminhada, tem um metabolismo mais acelerado.


9. Controla a vontade de comer
Um estudo recente feito por pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra, sugere que fazer caminhadas pode conter o vício pelo chocolate. Durante o estudo, foram avaliadas 25 pessoas que consumiam uma quantidade de pelo menos 100 gramas por dia de chocolate. Os chocólatras tiveram que renunciar ao consumo do doce e foram divididos em dois grupos, sendo que um deles faria uma caminhada diária.
Os pesquisadores perceberam que não comer o chocolate, juntamente com o estresse provocado pelo dia a dia, aumentava a vontade de consumir o doce. Mas, uma caminhada de 15 minutos em uma esteira proporciona uma redução significativa da vontade pela guloseima.
"Além de ocupar o tempo com outra coisa que não seja a comida, a caminhada libera hormônios, como a endorfina, que relaxam e combatem o estresse, efeito que muitas pessoas buscam compulsivamente na comida", afirma Paulo Correia.


10. Protege contra derrames e infartos
Quem anda mantém a saúde protegida das doenças cardiovasculares. Por ajudar a controlar a pressão sanguínea, caminhar é um fator de proteção contra derrames e infarto. "Os vasos ficam mais elásticos e mais propícios a se dilatarem quando há alguma obstrução. Isso impede que as artérias parem de transportar sangue ou entupam", diz Paulo.
A caminhada também regula os níveis de colesterol no corpo. Ela age tanto na diminuição na produção de gorduras ruins ao organismo, que têm mais facilidade de se acumular nas paredes dos vasos sanguíneos e por isso causar derrames e infartos, como no aumento na produção de HDL, mais conhecido como colesterol bom.


11. Diabetes
A insulina, substância que é responsável pela absorção de glicose pelas células do corpo, é produzida em maior quantidade durante a prática da caminhada, já que a atividade do pâncreas e do fígado são estimuladas durante a caminhada devido à maior circulação de sangue em todos os órgãos.
Outro ponto importante é que o treinamento aeróbico intenso produzido pela caminhada é capaz de reverter a resistência à insulina, um fator importante para o desenvolvimento de diabetes. Assim fica comprovado que os exercícios têm ainda mais benefícios contra o mal do que se pensava anteriormente.
"Quanto maior a quantidade de insulina no sangue, maior a capacidade das células absorverem a glicose. Quando esse açúcar está circulando livremente no sangue, pode causar diabetes", explica o fisiologista da Unifesp.


FONTE: site Minha Vida

domingo, 3 de abril de 2011

A IMPORTÂNCIA DA RESPIRAÇÃO NA EXECUÇÃO DOS EXERCÍCIOS DE PILATES


No Método Pilates a respiração é essencial, de fato é um de seus princípios chave já que ajuda a controlar os movimentos, permite oxigenar os músculos, facilita a estabilização da coluna e a movimentação dos membros (outro conceito fundamental no Método Pilates) e ajuda a relaxar a musculatura e estar ciente das tensões acumuladas por todo o corpo.

A respiração é parte integral de cada exercício de Pilates, sendo sempre coordenado com o movimento de tal maneira que contribui com a direção da energia para a zona que se está trabalhando. Também, uma técnica de respiração adequada aplicada durante os exercícios de Pilates ajuda o relaxamento muscular, evitando qualquer estresse desnecessário. Por isso cada sessão de Pilates começa com alguns minutos de sensibilização na respiração para poder tomar consciência das tensões distribuídas pelo corpo e ajudar relaxar a musculatura.

O Método Pilates enfatiza a importância de manter a corrente sanguínea estabilizada. Por isso, para que a forma de respirar esteja correta, considere que a expiração deve ser forte, seguida de inspiração profunda, permitindo preencher os pulmões de ar. Quando os pulmões inalam o oxigênio eles permitem a oxigenação de cada célula através da corrente sanguínea.

Durante a execução dos exercícios de Pilates, o método utiliza uma técnica de respiração especifica que permite não somente liberar o corpo de toda a tensão desnecessária (em particular no pescoço, ombros e costas), também fazendo com que os abdominais transversos sejam trabalhados na inspiração e na expiração.

O método respiratório do Pilates permite ativar corretamente os músculos abdominais transversos conseguindo assim manter estabilidade na região lombar durante a execução dos exercícios. Com a finalidade, o método Pilates utiliza a respiração torácica ou respiração diafragmática intercostal.

O objetivo deste tipo de respiração é utilizar os músculos do tórax e das costas para ampliar a caixa torácica lateralmente permitindo assim que os pulmões se expandam, mas, sem a necessidade da expansão do abdômen. Ao expandir o abdômen durante a respiração os músculos abdominais se alongam deixando de sustentar a parte baixa das costas deixando-a desprotegida. Por isso o método Pilates enfatiza uma respiração que evite a expansão abdominal.

No Pilates, durante a respiração, é executada a inspiração pelo nariz e a expiração pela boca. Durante a inalação as costelas se abrem fazendo força para fora e para cima, ao mesmo tempo em que a coluna vertebral é esticada, preenchendo os pulmões de oxigênio. Ao inspirar é muito importante não relaxar os músculos abdominais, para evitar perder o alinhamento postural, e cuidar para não utilizar os músculos inadequados durante a execução dos exercícios.

A expiração, por sua vez, facilita a contração dos músculos abdominais, já que anatomicamente ocorre a redução da caixa torácica “para dentro e para baixo”. Ao praticar o processo de expiração o diafragma se eleva gerando assim um “empurrão” dos músculos abdominais para dentro, no qual cria um centro de energia forte, que é fundamental para o processo de estabilização.

A respiração deve ser lenta durante todo o momento, sempre de forma contínua, e procurar realizar inspirações e expirações de mesma duração para permitir o bom “intercâmbio” entre oxigênio e dióxido de carbono em todo o corpo. Como regra geral, no Pilates, a duração das inspirações e expirações variam em função do nível do aluno, sendo recomendado três tempos de inspiração e expiração para alunos principiantes, cinco tempos para alunos de nível intermediário e oito tempos para alunos avançados.

Aqui vamos apresentar um simples exercício para começar a se familiarizar com a respiração do método Pilates. Para realizar o exercício, é recomendado sentar-se confortavelmente de forma que fique relaxado em uma cadeira mantendo os pés apoiados no chão e separados da cadeira com a mesma distância. É muito importante manter as costas retas, com a coluna vertebral bem esticada e deixar os ombros leves e relaxados.

Além disso, o alinhamento do pescoço em relação à coluna é importante, deve-se aproximar o queixo ligeiramente em direção ao peito, imaginar que esteja segurando uma bola de tênis entre o queixo e o pescoço. Assim alinhar corretamente as vértebras cervicais e sentir o pescoço esticado ao limite máximo para trás.

Uma vez que esteja confortável nesta posição, deve-se colocar as mãos sobre suas costelas de tal forma que as pontas dos dedos se toquem entre elas. Feche seus olhos e comece tomando consciência da respiração colocando toda a sua atenção em tentar não mover seu peito ou abdômen.

1 – Inspiração:

Inspire pelo nariz continuando a contrair o abdômen. Observe como o oxigênio entra na caixa torácica e, com ele, como suas mãos se separam pela ação da abertura das costelas.

2 – Expiração:

Expire pela boca ativando bem seus músculos abdominais como se tentasse levar o umbigo até a coluna vertebral. Para isso imagine que seus músculos, na base da pélvis, abdominais e umbigo estão unidos por um zíper. Sente como se fechasse para cima este zíper ao expirar.

Realize uma série de 10 a 20 respirações mantendo-se relaxado, os efeitos logo serão notados.

Fonte: planetapilates.com

segunda-feira, 28 de março de 2011

BOLSAS E MOCHILAS DEVEM TER ATÉ 10% DO NOSSO PESO, ALERTA ORTOPEDISTA

Todo estudante que carrega mochila com muito material escolar e toda mulher com bolsa pesada a tiracolo já sentiu ou vai sentir dor nas costas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das pessoas têm ou terão esse problema ao longo da vida.

Para falar sobre o peso que suportamos diariamente, qual é o limite e o que fazer para prevenir ou aliviar esse desconforto, o Bem Estar desta sexta-feira (18) convidou o ortopedista Alexandre Fogaça, do Hospital das Clínicas, e o preparador físico José Rubens D’Elia, que também é consultor do programa e deu dicas de exercícios especialmente contra a dor na coluna.

Nas ruas, o apresentador Fernando Rocha foi conferir quanto de peso as pessoas carregam, principalmente as mulheres, em mochilas, bolsas, pastas, malas e sacolas. Roupas, carteira, guarda-chuva, livro, perfume, maquiagem e até sapatos – tudo foi pesado em uma balança. E algumas não trocam a bolsa de lado: levam-na forçando sempre o mesmo ombro, podendo ficar tortas.

Segundo o ortopedista Olavo Letaif, se um indivíduo acha ou sente que está suportando uma carga acima do limite, já é um indício de que pode desenvolver uma dor nas costas. A regra é simples: um ser humano deve carregar até 10% do seu peso. Por exemplo, quem pesa 70 quilos pode ter até 7 quilos na bolsa.

E o ideal é distribuir melhor esse peso, com mochila de duas alças bem ajustadas ou um carrinho - mas muitos alegam que bolsas com rodinhas dificultariam a mobilidade nas ruas, calçadas e degraus. Mochilas usadas na região da coluna lombar (na altura do abdômen) podem causar um dano maior, segundo Letaif.

No estúdio, Alexandre Fogaça disse que os principais sinais de alerta da dor nas costas são: a que dura mais de três meses; ocorrida após um trauma; a que atrapalha o sono; a seguida de febre, perda de peso ou alteração da força e da sensibilidade nos braços e pernas; e a que acomete crianças ou idosos. Mas, de todas as dores, cerca 10% são graves. A maioria é benigna e passa em 2 ou 3 meses.

Os principais fatores para desconforto na coluna são: predisposição genética, má postura, falta de atividade física, excesso de peso, trabalho com trepidação (como motoristas de ônibus) e problemas psicológicos como estresse e mau relacionamento na empresa ou em casa.

Com o tempo, as dores podem se transformar em: desgaste da coluna, quebra de vértebras, escoliose (desvio para o lado) ou cifose (desvio para frente). Para dormir, de acordo com Fogaça, o colchão não deve ser muito duro nem muito mole. E o melhor jeito de deitar é de lado ou de barriga para cima.

FONTE: site g1.globo.com/bemestar